Início          Cadastre seu currículo       Carta de princípios Camilianos      Outras Unidades      São Camilo de Lellis      Contato

 
     
 

Timóteo (MG) - Em Semana da Mobilização Precoce, Vital Brazil discute qualidade de vida e redução da permanência do paciente na UTI
 


 

Junho é o mês eleito pela Fisioterapia (UNIFISIO) do Hospital e Maternidade Vital Brazil (HMVB) para falar sobre a Mobilização Precoce, técnica que mantém a amplitude do movimento, evita grandes retrações musculares e reduz as complicações relacionadas à imobilidade do paciente internado. E para discutir os aspectos que envolvem a melhora da funcionalidade e qualidade de vida dos pacientes foi realizada a II Semana de Mobilização Precoce do HMVB.


Durante a abertura oficial do evento com a presença do diretor administrativo do HMVB, Geovani Freitas, do Diretor Clínico, Dr. Marcelo Mansur, do Coordenador médico da UTI, Dr. Rogério Machado, do Gerente assistencial, José Soares e do Sr. Anchieta Poggialli, a coordenadora do Serviço de Fisioterapia do HMVB, Sábatha Santopietro Cunha, falou sobre a importância da mobilização precoce e da multidisciplinaridade neste importante trabalho.


Além de várias palestras educativas abordando o tema central, a exposição fotográfica “RESISTÊNCIA”, lançada no ano de 2017 durante a edição do Seminário anterior realizado pela UNIFISIO na Fundação Aperam Acesita, permaneceu nos corredores do Hospital levando, aos que passavam por ali, a importância da Mobilização precoce no contexto hospitalar.


Mobilização para reduzir tempo de internação na UTI

Fatores como a imobilidade e a fraqueza muscular são um dos maiores problemas encontrados em pacientes dentro da Unidade de Terapia Intensiva (UTI). O imobilismo ocorre em 30% a 60% desses pacientes e está diretamente relacionada ao maior tempo de ventilação mecânica, estadia na UTI e é o principal fator para o desenvolvimento da fraqueza muscular. Para cada semana de imobilização incompleta um indivíduo pode perder de 4% a 5% de seu nível de força muscular, segundo a fisioterapeuta.


Ainda segundo a fisioterapeuta, com a mobilização precoce, é possível obter uma melhora da força muscular e dos músculos respiratórios, reduzindo a dispneia e o tempo de ventilação mecânica, melhorando o bem-estar do paciente e reduzindo o tempo de internação e custos. O protocolo de mobilização precoce deve ser iniciado imediatamente após a estabilização do paciente na UTI, segundo a fisioterapeuta. O profissional é que indica o início da mobilização e responsável por avaliar e prescrever os exercícios adequados, de acordo com o quadro e capacidade do paciente.


“A equipe multidisciplinar tem importante papel na manutenção do equilíbrio desse paciente como um todo. Com isso o papel do fisioterapeuta juntamente com a equipe multiprofissional, diante de tal quadro, se mostra fundamental quando o assunto é a mobilização precoce na UTI”, finaliza Sábatha.



Data: 22.06.2018


 




     

 

 

 

 


<< Voltar a tela anterior
 
 
     
     
 

Todos os direitos reservados