Início          Cadastre seu currículo       Carta de princípios Camilianos      Outras Unidades      São Camilo de Lellis      Contato

 
     
 

Cel. Fabriciano (MG) - Hospital São Camilo cria Protocolo de dor abdominal para minimizar quadros críticos e agilizar assistência
 


 

Quase metade dos pacientes que são admitidos no Hospital São Camilo apresentam patologias relacionadas à dor abdominal, muitas que podem desencadear quadros clínicos críticos, com evolução rápida e choque. A partir desta semana, o coordenador da cirurgia, Dr. Felippe Feitosa, implantou junto à equipe de enfermagem e médicos o Protocolo de Dor Abdominal, que identifica com mais agilidade a necessidade cirúrgica e a tomada de ações mediante os pacientes enquadrados neste protocolo.


Cólicas, apendicite, complicações da vesícula, gastrite, infecções e diversas dores são peculiares a esse protocolo que envolve assistência aos pacientes eletivos internados, aos enquadrados em urgência no Pronto Socorro e aos internados instáveis. Além das considerações técnicas, o Protocolo aponta os quatro tipos de dor visceral e quais medidas a serem tomadas a cada evolução.


Um formulário de interconsulta deve ser preenchido pelo médico, obrigatoriamente, sob pena de infrações, a fim de identificar cada necessidade do paciente admitido e agilizar sua assistência. Dr. Felippe espera a maior adesão possível dos médicos, a fim de evitar o desgaste da enfermagem na busca constante pelos plantonistas e ainda o de facilitar a abordagem do cirurgião quando de sua chegada ao Hospital e avaliação do paciente.


“Precisamos da cooperação coletiva, pois a investigação das causas de dor abdominal deve afastar a possibilidade de uma situação catastrófica que pode levar o paciente à morte, se não houver suspeita e encaminhamento ao hospital de referência. O protocolo visa afastar um possível quadro de abdome agudo, doenças clínicas que complicam com abdome agudo e as que podem cursar com dor abdominal e levar à morte”, afirma.


As abordagens aos pacientes adultos, idosos e crianças estão devidamente detalhadas no protocolo, além de todas as condutas e tipos de cenário com os quais os médicos podem se deparar. As causas de dor abdominal localizada e os sintomas também estão descritos no documento, disponível em todos os consultórios do Hospital e Posto de Enfermagem, que contém o fluxo de acionamento cirúrgico no Pronto Atendimento.


“Os acionamentos devem, em ordem de preferência absoluta, serem realizados de médico para médico. O protocolo facilita a dinâmica de chamadas e nos dá registro do horário em que foi realizado o acionamento e o horário do procedimento e, além de tudo integra a equipe de médicos do Hospital favorecendo completamente o bem estar do paciente”, finaliza.


Foto: Dr. Felippe e equipe de enfermagem exibe protocolo já em uso.

Data: 26.03.2014


 
     

 

 

 

 


<< Voltar a tela anterior
 
 
     
     
 

Todos os direitos reservados